30 janeiro 2011

irreversível

estava de cara zangada
não era desejo nem fogo
tampouco esperteza no jogo
talvez fosse o peso da estrada
ou quem sabe por não fazer nada
quando a vida exigia ação
hoje de olhar para o chão
vive a lamentar defeito 
e arrependido por não ter feito
os apelos de seu coração...

4 comentários:

  1. Muito significativo! Tocante e sensível! parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Muito bom mesmo! Você e seus pensamentos que merecem reflexão. "Não deixe para amanhã o que pode fazer hoje". Senão, depois se arrepende.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir