06 setembro 2009

infância encantada

aquele mundo pequeno
mundo encantado
de minha infância
para mim era enorme

e o era
tanto que
vez e outra
aquele mundo
se revira na memória

abracei aquela casa
abracei como quem abraça a pessoa amada
casa que fomos obrigados a deixar

canto da casa
paredes sem reboco
sombra do outão
onde construíamos
um outro mundo
todo nosso

abracei a casa
num gesto puro
e sem saber
expressava
a vontade
de cosmificação
a necessidade
de um ponto fixo...

2 comentários:

  1. Oi Iraildo, o seu poema me fez lembrar este que é muito conhecido, e que todos nós cantávamos. Como vai de nova moradia? Saudades!

    Meus oito anos

    Oh ! Que saudades que tenho
    Da aurora da minha vida,
    Da minha infância querida
    Que os anos não trazem mais!
    Que amor, que sonhos, que flores,
    Naquelas tardes fagueiras,
    À sombra das bananeiras,
    Debaixo dos laranjais!

    Luiza

    ResponderExcluir
  2. Ira, eu também abraço em sonhos a casa em que vivi minha infância e adolescência. Não consigo ficar longe dela e às vezes a reconstruo pois o tempo tem sido duro com ela. Muita saudade de você

    Bjim
    Carpe Diem!!

    ResponderExcluir