18 agosto 2009

salobra

quando na calada da noite
o corpo desperta
e a palavra entalada
na garganta seca
a escuridão do quarto
de mim
partilha a lágrima salobra
que escorre pra lugar nenhum
de mim...