21 fevereiro 2010

nas horas cinzas

o que em mim é mistério
somente se revela no cinza
cinza do tempo
quando minha alma dói
e os olhos são dois túneis iluminados
e não mentem

é na hora cinza
que sou o que sou
que me permito
que me deixo
que me abandono
que não conto o tempo
que não tenho passado
futuro
e o presente
não me rouba nada...