23 fevereiro 2011

crepuscular

feito Caim, em fuga
procurando um lugar no mundo
na testa um sinal
sempre diferente, nunca normal
rejeitado, amado em segundo plano
conta o tempo, ano após ano
nuvem sem água
levada pelo vento da angustia, da mágoa
árvore de outono
noturno...