21 setembro 2011

aquela música


quando aquela música toca
as paredes do quarto se contorcem
pulo a janela e monto na calda do vento

as asas invisíveis fazem voo rasante
e o corpo da vida 
se liquefaz no céu de minha boca

fecho os olhos
o som pungente da música
penetra meus poros, meus ossos

enquanto o corpo se  dissolve
procuro as partes de mim mesmo...