12 abril 2010

alto e baixo

daqui

posso ver o céu

limpo, azul

intenso, imenso

ele me faz fugir

fingir

me faz também sentir

sentir que além

da cadeira

da cadeia

da escola

dos conceitos

dos preconceitos

eu posso ser

aquele quase invisível pássaro

que corta o vento

lá em cima

hoje sou apenas

aquele cãozinho perdido

abandonado aqui no pátio

ciscando as primeiras folhas outonais

hoje não quero nada mais...