11 março 2011

exorcismo

se dentro não fosse a fornalha
mas a fornalha é nada
pior foram seus dentes desarticulando a linguagem
e seu dedo em riste ditando ordens confusas


seu mundo é difuso
minha alma estremece
ante seu olhar funesto


às vezes a raiva faísca
mas depois me acalmo
respiro fundo, fico mudo
abro a janela de mim
e faço uma prece ao vento


aí tudo sopra, dissipa-se


amém...